sábado, 17 de julho de 2010

PLÁSTICA E AUTOESTIMA


Quantas vezes você já viu aquela amiga, tímida, quieta, que chega prá você com um imenso sorriso no rosto, alegre, de dar inveja e que te fala: Acabei de fazer uma plástica?


Sem falar naquela que coloca um decote até o umbigo e ainda pede prá você "apertar" a prótese nova. Pois é isso mesmo o que sempre vejo no consultório.


A paciente na primeira consulta chega cabisbaixa, falando pouco e mal gosta de tocar no assunto sobre o que está a incomodando.


Mas depois que faz a cirurgia plástica ou até mesmo um simples procedimento como uma aplicação de toxina botulínica já chega na consulta seguinte totalmente diferente.


A sua autoestima melhora muito e com isso chega mais disposta, mais "iluminada", falante. Podemos dizer: Uma nova pessoa. Algumas chegam até a mudar seus hábitos; vão ao cabeleireiro, cortam o cabelo, mudam a cor, usam maquiagem. E isso não acontece só com as mulheres. Os homens também acabam mudando seus hábitos e sua forma de agir.


Parece engraçado, mas é a pura realidade de um consultório de cirurgia plástica.


Mas nós médicos também temos de ficar atentos aos excessos de falta de auto-estima e muitas vezes da necessidade de uma orientação por parte de um psicólogo.


A cirurgia plástica não faz um casamento que está indo de mal a pior voltar ao que era antes. Nem mesmo consegue fazer com que aquele "cafajeste" do seu namorado volte a ter um relacionamento com você.


Precisamos saber definir o que a paciente necessita e o que a paciente espera da cirurgia.


É um pouco complicado, mas com o tempo e muita conversa durante a consulta você vai conseguindo identificar essas diferenças e saber qual a melhor conduta a ser tomada.


Mas o mais importante e acredito eu, o mais gratificante é que independente da conduta que você tome a paciente no final acabe seguindo o melhor caminho e consiga recuperar a autoestima tanto almejada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.